Cirurgia do Aparelho Digestivo
AGENDE UMA CONSULTA: (11) 2251-5622
Ligue Hoje: (11) 2251-5622
Rua Pamplona, 145, Conjunto 1801 - São Paulo, SP
Horário de Atendimento
Segunda à sexta das 08h às 20h

Câncer colorretal é o nome dado aos tumores que têm origem no intestino grosso e reto, a parte final do sistema digestivo. É possível prevenir esse tipo de doença? Para responder a esta e outras questões, como os exames mais comuns, criamos este artigo. Acompanhe!

O que sabemos

O câncer colorretal é mais frequente em adultos, principalmente entre 40 e 60 anos. Existem alguns fatores de risco que contribuem para seu surgimento e  os 4 principais são:

  • Hereditariedade: história familiar de câncer colorretal aumenta as chances de ter essa doença, sobretudo quando o parentesco é de 1º grau;
  • Alimentação: em especial, dietas ricas em carne, gordura animal, alimentos ultraprocessados. Além disso, dietas pobres em frutas, vegetais e outras fontes de fibras (todos ótimos aliados do bom trânsito  intestinal);
  • Síndromes Genéticas: embora raras, algumas síndromes genéticas,  como polipose adenomatosa familiar ou Síndrome de Lynch, têm altíssima incidência dessas neoplasias;
  • Sedentarismo e vícios: outros fatores de risco são obesidade, falta de exercícios físicos e o consumo de drogas, como álcool e cigarro.

Quais os sintomas?

A doença é muito frequente e atinge pessoas independente do gênero. O INCA estimou que em 2020 ocorreram  40.990 novos casos no Brasil, divididos quase meio a meio entre homens (20.520) e mulheres (20.470). 

Entre os sintomas principais estão o sangramento nas fezes, perda de peso e anemia, mudança de hábito intestinal (geralmente constipação ou diarreia) e inchaço abdominal. Porém, um ponto importantíssimo é que em fase inicial a doença costuma ser assintomática, por isso o rastreamento ativo é muito importante.

Quais são os exames necessários para prevenção do câncer colorretal e quando eles devem ser realizados? 

O rastreamento do câncer colorretal deve começar aos 45 anos de idade para pacientes sem antecedentes familiares dessa neoplasia e em pacientes com parentes de 1º grau com a doença, o rastreamento inicia-se aos 35 anos de idade ou então 10 anos antes do caso índice da família, o que for mais precoce:

Pesquisa de sangue oculto nas fezes e sigmoidoscopia:

O rastreamento pode ser realizado com exame de sangue oculto anualmente associado a retossigmoidoscopia a cada 5 anos

Colonoscopia

Esse exame tem a capacidade de avaliar toda a mucosa do cólon e, portanto, identificar pólipos em todo órgão. A colonoscopia deve ser repetida a cada 10 anos, salvo em casos com múltiplos pólipos ou então com algum pólipo de alto risco, como aqueles com displasia de alto grau ou adenomas serrilhados, que exigem um controle precoce.

Melhor prevenção

Tenha em mente que o diagnóstico precoce é o seu maior aliado contra essa doença, já que é possível a prevenção do câncer colorretal, combinando-se exames regulares, atenção ao histórico familiar e hábitos saudáveis. Deseja informações ou tirar outras dúvidas? Então, acesse a nossa Central Educativa para mais conteúdos como esse!

Deixe uma resposta

Abrir Whatsapp
1
Clínica em São Paulo: Agende Sua Consulta pelo Whatsapp.
Powered by